menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Feira de Ciências e Trabalhos Escolares
(Técnicas, Normas e Sugestões)

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

Julgamento

COMO SE JULGAM AS EXPOSIÇÕES
[ aos juizes e agentes patrocinadores ]

As normas para o julgamento dos trabalhos expostos numa Feira de Ciências variam bastante, porém a maior parte delas, num trabalho sério de equipe de professores, segue de perto os critérios e sistema de pontuação utilizados pela Feira Científica Internacional, que são:

I. Capacidade criativa . .. . . . . . . 30 pontos

Em que medida o trabalho exposto apresenta originalidade no planejamento ou em sua execução? Deve-se considerar os aspectos originais, independentemente do preço do equipamento comprado ou emprestado. Tenha presente a utilização engenhosa do material exposto. Considere que as coleções só serão criativas se apresentarem um objetivo muito bem definido.

II. Pensamento científico . . . . . . . 30 pontos

O exposto revela um procedimento organizado? Existe planejamento? Há classificações, observações precisas ou experimentos controlados? O exposto verifica leis ou relações de causa e efeito? Contribui, mediante modelos e outros métodos, a uma melhor compreensão de fenômenos ou de teorias científicas? Houve preocupação na aplicação de metodologia científica?

Considere a quantidade provável de autêntico estudo e esforço dedicado ao trabalho exposto. Ignore o que se pode subtrair, incluir ou melhorar — isto já seria pensamento do júri, não do expositor.

III. Minuciosidade . . . . . . . . . . . 10 pontos

Pontue aqui a medida com que a história (tema) se desenrola completamente. Não é imprescindível que nos modelos se observe uma clareza muito prolixa dos detalhes da construção. Ser minucioso é saber cutucar o nervo doente e não excitar o corpo todo. Ser minucioso é saber despertar no espectador uma célula cerebral adormecida.

IV. Habilidade . .. . . . . . . . . . . . . 10 pontos

Está bem construído o trabalho apresentado? A base do "aparelhinho" foi devidamente cortada, lixada e envernizada? Necessita de reparos freqüentes para manter o funcionamento? No caso de coleções, que grau de habilidade é refletido no trabalho exposto, na montagem, nos textos etc.? Dispense sua exigência e maturidade no assunto, você é um profissional, ele um aluno.

V. Clareza . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10 pontos

Na sua opinião, um indivíduo médio entenderá a idéia do trabalho exposto? Estão escritos corretamente os títulos, as etiquetas, as descrições e os visuais? Foram apresentados com limpeza e precisão? Há algo que faça aumentar a atenção do espectador à medida que observa a seqüência do trabalho exposto? Aqui é onde entra, obrigatoriamente, a necessidade de mais de um juiz, um deles especialista no tema.

Senhor do júri, por gentileza, nunca se esqueça disso, sua avaliação pode mudar o rumo de uma vida profissional.

Ser júri numa Feira de Ciências é uma 'senhora' responsabilidade. Não os invejo.

VI. Valor espetacular relativo. . . 10 pontos

Esse trabalho exposto é mais atrativo que outros relativos ao mesmo tema? Exemplifico, exame de sangue é 'habitué' (o que é ótimo!) em Feiras de Ciências e, vários grupos de alunos apresentam o mesmo tema. O problema do júri é estabelecer como cada um deles realmente esclarece o proposto, isso é o valor espetacular relativo.

Nessa avaliação de exposições versando sobre o mesmo tema (e nenhum mal há nisso!) não se deixe influenciar por detalhes simpáticos (luzes, botões, interruptores, manivelas ou outros artifícios visuais que não acrescentem nada ao objetivo do trabalho exposto).

Enaltecer indevidamente trabalhos vulgares, com apresentação dispendiosa, com computadores, reprodutores de fitas de vídeo, toca-discos etc., é perigoso por incentivar, para as próximas feiras, composições cada vez mais suntuosas, porém alheias ao espírito científico.

Verifique se o trabalho exposto é fonte sonora que possa prejudicar outros trabalhos próximos, quer pelo ruído, quer por desrespeito aos gostos alheios para os sons produzidos.

Comentários e finalização
Essas normas apresentadas ainda deixam muito campo a critério dos juizes, especialmente no que se refere à distinção entre o próprio projeto científico e o trabalho exposto. O normal é que se destine 60 pontos à criatividade e ao pensamento científico; os 40 pontos restantes podem se redistribuir conforme consenso entre juizes e agentes patrocinadores.

Os juizes devem se reunir e estudar os critérios e as pontuações antes de avaliarem os trabalhos expostos. Foge ao nosso bom senso cogitar que na equipe de juizes não tenha pelo menos um apto e acostumado ao pensamento científico cartesiano. Um mestre em ciências exatas.

Aliás, independente disso, convidar tais mestres (de outras Escolas, Faculdades ou Universidades) para participarem como juizes em sua Feira de Ciências é o que há de melhor bom tom.

Entre os cuidados que devem ser tomados pelos agentes expositores e juizes, um é a emissão das normas da exposição, dos critérios adotados, dos comportamentos esperados e dos prêmios envolvidos.

Sobre a premiação, é terminantemente proibido, por lei e por consciência científica, que os prêmios afetem as notas mensais normais do processo de educação na escola.

Participa-se de uma Feira de Ciências para uma divulgação científica e mostras do aprendizado na escola, não para tirar nota. Os prêmios podem ser ofertados pelos agentes patrocinadores, sociedades beneficentes, agremiações locais, firmas comerciais locais, prefeitura local etc.

Bolsas de Estudos são os prêmios mais indicados.

Mesmo que o espectador médio apenas observe os trabalhos, sem pedir explicações, o aluno-expositor deve ser alertado pela comissão organizadora da Feira de que, por vezes, o que aparenta ser um simples espectador poderá ser um juiz averiguando o grau de compreensão do tema do projeto.

Cada juiz deverá ser portador de um bloco de fichas cujo modelo pode ser o da ilustração 24.

Fig.24- Modelo de ficha para o Juiz

Por ocasião da inscrição do candidato a aluno-expositor, recomenda-se o preenchimento de uma ficha como a da ilustração 25.

Fig.25- Modelo de ficha de inscrição

Recordando os bons tempos, sempre é bom destacar o espírito aberto de organizações particulares, tais como a Hoechst, que patrocinava a Ciranda da Ciência, o Instituto Brasileiro de Educação, Ciência e Cultura (IBECC) com o concurso Cientista do Amanhã. Atualmente, em São Paulo, o destaque vai para a Estação Ciência.


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1