menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor
Tensão superficial - 2

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

Objetivo
Mostrar outro método para verificar a existência da tensão superficial na água.

Material

  • Lata de azeite vazia

  • Abridor de latas

  • Furador (ou prego e martelo)

  • Água

  • Pia

Construção

Ø Numa lata de azeite, sem tampa, faça três ou quatro furos de 2,5 mm (um ao lado do outro), separados entre si, por 4 mm, e afastados da base da lata, de 1cm.

Procedimento

Ø Coloque água na lata até a metade e esta começará a jorrar pelos furos.

Ø Com os dedos polegar e indicador, junte os três jatos perto da lata e separe os dedos. Os três jatos ficarão trançados, tornando-se um só.

Ø Para se parar os três jatos (agora reunidos num só), tampe os furos com o dedo indicador e afaste-o rapidamente deslizando-o verticalmente para baixo ao longo da lata.

Ø Faça os alunos relacionarem esta experiência com a anterior (os jatos de água, uma vez encostados, tendem a manter-se unidos, pois as moléculas superficiais de água oferecem resistência à separação).

Observação
Para esta experiência 'dar certo', a água não pode jorrar nem muito forte nem muito devagar. Dever-se-á controlar a altura da água na lata. Havendo uma torneira na sala, pode-se regular a altura, controlando-a, de modo que a quantidade de água que entra seja igual à que sai. Mais tarde você conhecerá o frasco de Mariotte, o qual permitirá vazão constante.



Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1