menu_topo

Atividades com Ímãs
(Série A - ATIVIDADE #9 - Como fazer um ímã usando uma pilha comum?)

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

Você viu, na Atividade 1, como imantar objetos, colocando-os em contato com um ímã. É notável observar que isto pode ser feito indefinidamente, sem nenhuma perda aparente da força do ímã.

Nesta atividade, entretanto, você tentará outro processo de imantar objetos (aliás, esta Atividade é um preparo para a Série B). Este é o processo usado nas fábricas onde são produzidos ímãs para todo tipo de maquinaria elétrica. Por este processo os objetos a serem imantados são colocados dentro de um rolo de fio de cobre esmaltado (bobina) através do qual passa urna corrente elétrica (figura 1). Feito isso, as tesouras e outros objetos se tornam fortemente imantados em poucos segundos.

Você precisará de uns 15 m (15 metros) de fio de cobre esmaltado rígido e isolado #24; fio coberto com esmalte especial (fios para enrolamento de motores elétricos). Você pode comprá-los em rolos de 250 g, 500 g ou 1 kg, nas lojas de materiais elétricos ou em oficinas de enrolamento de pequenos motores. Duzentos e cinqüenta gramas de fio de cobre esmaltado contém uns 30 m. Ou, se você explicar seu problema a um eletricista, ele poderá dar-lhe um rolo velho e deste você poderá obter várias dezenas de metros de fio que servirão para esta e outras atividades que se seguem. Transformadores ´pifados´ são excelentes fontes de fios de cobre esmaltado! Outras excelentes fontes de material são as casas de serviços autoelétricos.

Você precisará, também, de um tubo de papelão duro em torno do qual possa enrolar o fio esmaltado. Um tubo pequeno, com o diâmetro de 2 a 4 cm, com 20 cm de comprimento, será excelente. Como o tempo de magnetização é bem pequeno, o que minimiza bastante os possíveis aquecimentos, poderão ser usado tubos de plásticos ou PVC em substituição ao tubo de papelão.

Prepare-se para enrolar o fio no tubo, como indica a figura 2 acima, arrumando o rolo de modo que se desenrole tão rapidamente quanto pode ser enrolado em torno do tubo. Enrole-o fazendo o tubo girar nas mãos; desta maneira você impedirá que o arame se dobre ou se embarace (uma manivela para facilitar esse serviço será bem vinda). Enrole-o caprichosa e regularmente, como se enrola um carretel de linha. Enrole uns 15m. Deixe livre as extremidades numa extensão de mais ou menos 60cm, para fazer a ligação com as pilhas (ou uma bateria automotiva, se tiver uma no jeito).Todavia, nada impede que essas pilhas ou baterias sejam substituídas por fontes de alimentação ajustáveis.

Com o enrolamento pronto (bobina feita), ligue as pilhas, como está indicado na figura 3. Primeiramente ligue apenas uma extremidade da bobina, deixando livre a outra, até o momento de usá-la.

Você já pode começar a fazer os seus ímãs.
Ponha dentro do tubo os objetos que você deseja imantar. Encoste a outra ponta de fio à bateria (associação de pilhas) por dois ou três segundos, desligue-a e pronto. Seus objetos devem estar fortemente imantados. Se não estiverem, talvez seja porque alguns deles são de ferro doce ou de material não-magnético (alumínio, latão, cobre etc.).
A explicação do "por que isto funciona assim" será apresentada na Série B.

Navegando pela Série A
1. Como podemos fazer um ímã usando outro ímã?
2. Como agem os pólos de um ímã?
3. Como construir bússolas magnéticas?
4. O magnetismo passa através dos corpos?
5. Qual a natureza dessa 'força invisível' que cerca um ímã?
6. De que modo a Terra age como um ímã?
7. A Terra imanta os objetos?
8. Algumas demonstrações curiosas com ímãs.
9. Como fabricar ímãs usando uma pilha comum?

 

Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2009 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1