menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Bobina de Tesla
(Introdução)

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br


Introdução | Material | Montagem | Circuito | Funcionamento | Prova


Fases da construção

 

Uma bobina de Tesla, devido às altas freqüências das correntes envolvidas, possibilita uma montagem prudente para demonstrar fenômenos onde interferem muito altas tensões.

É uma das montagens mais atrativas para o âmbito de uma Feira de Ciências, devido as brilhantes e ruidosas faíscas que produz. Além disso, em sala de aula, presta-se para uma boa série de experimentos relacionados com as altas tensões, com as altas freqüências, com a emissão de ondas de rádio, com os circuitos ressonantes, com as ionizações de gases etc.

Breve histórico
A bobina de Tesla é um tipo de transformador ressonante que é capaz de produzir, sob altas freqüências, tensões acima de um milhão de volts. A bobina de Tesla foi desenvolvida por Nikola Tesla (1856-1943), um contemporâneo e rival de Thomas A. Edson (1847-1931).

N. Tesla

A biografia de Tesla é uma leitura especialmente interessante. Em 1899 Tesla produziu descargas elétricas com 38 metros de extensão entre eletrodos colocados a 61 metros acima do solo com sua bobina para 12 milhões de volts, em seu laboratório em Colorado Spring. A sobrecarga devido à potência utilizada foi tanta que botou fogo no alternador da Companhia Elétrica dessa cidade.
Tesla imaginou não só usar a sua invenção para comunicações sem fios ao redor do mundo mas também para a distribuição de energia elétrica, sem o uso de fios.

Por causa de sua alta freqüência, repetimos, a bobina de Tesla provê um modo relativamente seguro para demonstrar fenômenos que envolvem muito alta tensão. Uma bobina de Tesla, de bom tamanho, é provavelmente a mais espetacular de todas as demonstrações elétricas. Descargas semelhantes a relâmpagos, brilhantes descargas coronas, proporcionam um efeito espetacular devido ao campo eletromagnético formado, podendo acender lâmpadas fluorescentes e lâmpadas néon até a dois metros de distância do aparelho. É um excelente projeto para Feiras de Ciências, permitindo ao aluno um bom primeiro contato com as correntes alternadas de alta freqüência, suas aplicações, além de permitir avanços no aperfeiçoamento do desempenho do aparelho.

A bobina de Tesla é essencialmente um transmissor de rádio sem a antena, e assim Tesla merece algum crédito no que concerne à invenção do rádio --- embora seu interesse era mais relacionado á transmissão de energia elétrica do que á comunicação. Em funcionamento, é capaz de produzir severa interferência nos rádios, por isso, recomenda-se que seja utilizada dentro de uma "gaiola de Faraday" (é uma blindagem eletrostática --- lugar onde campos eletromagnéticos não podem penetrar) ou só em breves intervalos, tanto em sala de aula como em Feiras de Ciências.

Um ressoador de Hertz, por exemplo, (duas esferas metálicas interligadas por um condutor elétrico em forma de arco e um cabo isolante) posto perto da bobina exibirá faíscas entre as esferas, demonstrando a produção e propagação de ondas de rádio (veja Aplicações da Bobina de Tesla).

 


Introdução | Material | Montagem | Circuito | Funcionamento | Prova



Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1