menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Super Pêndulo

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

Introdução
Um pêndulo gigante no pátio onde se realiza Feira de Ciências é sempre uma 'movimentada' atração. O experimento pelo seu porte, sua dinâmica e pelos conceitos que destaca justifica sua habitual presença nas feiras escolares.

Um 'assustador' pêndulo pode ser construído a partir de uma bola de boliche. Tais bolas são feitas com resina plástica e como tal podem ser perfuradas com relativa facilidade, permitindo a fixação de um gancho de ferro, com rosca. Os orifícios originais para os dedos podem ser tapados com gesso e, posteriormente, lixados. Uma pintura com tinta metálica cinzenta dará um bom acabamento e dá á bola uma aparência de balas de antigos canhões dos navios piratas.

A suspensão em forma de V dessa bola requer dois cabos de aço de 3 a 5 mm, como se ilustra. Essa precaução é para evitar movimento fora do plano que interessa. O conjunto todo deve ser pendurado num suporte rígido, firme, também através de ganchos (há pistolas especiais para a penetração de parafusos de aço em concreto).


Montagem
A montagem pode ser utilizada como um pêndulo simples, cujo período pode ser determinado mediante contagem de oscilações completas e cronômetro. Via de regra ela é utilizada para explicar os conceitos de transformação de energia e conservação.
Nesse propósito, o comprimento do pêndulo pode ser ajustado de forma que quando afastado um par de metros de sua posição de equilíbrio a bola fique á altura da cabeça do 'voluntário'. O 'voluntário' deve ficar 'estático' nessa posição, com a bola encostada na ponta de seu nariz. Uma vez abandonada executará seu movimento de vai e vem e retornará a cerca de 1 cm da ponta do nariz, sem qualquer perigo para o 'voluntário'. Em cada ciclo ocorrerá uma perda de energia mecânica devido aos atritos nos pivôs e no ar.

Para prevenir acidentes sobre 'voluntários' que se assustam e 'levam a cabeça para a frente' no ato de fugir do local, é conveniente fixar a cabeça do 'referido' contra a coluna com um cinto de couro 'emprestado' de algum expectador.

 


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1