menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

'Máquina' de ionizar ar ambiente

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

(atualizada em 25/07/2011)

Introdução
Todo ser humano é uma engenhosa máquina elétrica. Mesmo nas transformações ditas químicas ou biológicas, “no fundo”, interferem cargas elétricas. É de se esperar, assim, e estudos em diversas escolas de medicina comprovam isso, que a presença da maior ou menor quantidade de cargas elétricas no ar (íons ou elétrons) devem afetar o comportamento do ser humano. Eis um belíssimo tema para Feiras de Ciências. Você pode começar pesquisando esse tema junto a professores de química, biologia e física de sua escola ou de faculdades.

Tema
"Íons positivos em excesso no ar ambiente causam irritações e outras crises. Íons negativos no ar ambiente têm efeito benéfico no comportamento humano, impedem crises, são usados em casos de queimaduras, eliminação de dores etc."

Para produzir íons negativos necessita-se de uma fonte de tensão acima de 1000 volts, associada ao poder das pontas. O sistema multiplicador de tensão esquematizado a seguir, usando diodos retificadores e capacitores de poliéster permitem obter potenciais elétricos da ordem dos 1500 VCC (usando-se dos 110 VAC da rede elétrica domiciliar). Aplicando-se esse potencial elétrico a uma haste com extremidade bem afilada obtém-se íons negativos, que se espalham pelo ar.

Material

D1 a D6  — diodos retificadores 1N4007 ou equivalentes.
C1 a C6  — capacitores de poliéster de 100 nF a 470 nF x 600 V.
F           — porta-fusível e fusível para 1 A.
R1 a R4 — resistor de carvão de 1 M
W x 1/4 W.
                 cordão de força, ponte de terminais (ou CI), solda etc.

Esquema

NOTA 1
Se sua rede elétrica é de 117 VAC e você dispõe de um transformador de primário 117 V e secundário 220 V, pode ligar o secundário nos pontos A e B do circuito e com isso obter na haste um potencial elétrico de uns 2500 V. Se sua rede elétrica fornece os 220VAC, pode ligar diretamente aos pontos A e B.
Tanto ligado em 110 VAC como em 220 VAC, o consumo da “máquina” é extremamente baixo, o que permite sua ligação por longos intervalos de tempo.

NOTA 2
Com o acréscimo de capacitores e diodos a tensão de saída cresce e com isso o melhor desempenho do sistema. Abaixo a montagem com 10 capacitores e 10 diodos propiciando saída na casa dos 6000 V.

Se você quiser usar apenas 4 capacitores e 4 diodos, deverá ir até a saída (1) eliminando todos os demais capacitores e diodos a partir de C5/D5; para 5 capacitores e 5 diodos use a saída (2) eliminando os demais capacitores e diodos etc.

NOTA 3
Uma boa fonte de consulta para tais tipos de dispositivos ionizadores são os artigos do amigo Newton C. Braga, 'expert' em Eletrônica e Consultor Técnico da Revista Saber Eletrônica. Eis o site que recomendo: http://www.newtoncbraga.com.br , no tema Eletrônica.

NOTA 4
O tema em questão trata de Geradores de Altas Tensões. Na Sala 15 há todo um tratamento para tais geradores usando flybacks, bobinas de ignição automotiva, transformadores de filamento, dimmers, reatores de lâmpadas fluorescentes compactas, etc., apresentando aplicações para eletrização do meio ambiente, eliminador de insetos, chifre elétrico, faiscadores potentes, arrancadores de minhocas, inversores para fluorescentes, etc. Eis os links:

http://www.feiradeciencias.com.br/sala15/15_37a.asp
http://www.feiradeciencias.com.br/sala15/15_37b.asp
http://www.feiradeciencias.com.br/sala15/15_37c.asp

Finalizando
Esse dispositivo para ionizar o ar ambiente deve ser montado dentro de uma pequena caixa plástica, ficando de fora apenas, o cordão de força e a ponta metálica.

 


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1