menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Buzina Automotiva
(Modelo Didático)

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

(revisado em 22/09/2011)

Apresentação
Um modelo didático para a buzina automotiva ou corneta eletromagnética pode ser feito a partir de uma lata vazia e alguns outros materiais. A menos do detalhe da corneta ressonante --- lata vazia --- o projeto é, essencialmente, o mesmo de uma campainha elétrica para CC (corrente contínua).

Material
Lata vazia de conserva (massa de tomate, milho verde, leite em pó, etc.);
Base de madeira;
Sarrafo de 2 cm de espessura;
Parafuso de 1/4" x 2"; parafusos para madeira; pregos;
Fio de cobre esmaltado #24 a #28 (6 m);
Pilhas em série ou fonte de alimentação;
Interruptor, tipo botão de campainha residencial.

Montagem - modelo com bobina externa
A ilustração a seguir mostra a vista lateral dessa montagem. A lata foi representada como 'transparente' para que se observe o seu interior.

A é a lata de conserva cujo tampo, à direita da ilustração, foi totalmente retirado (rebata as bordas para anular o efeito das saliências cortantes); B são os dois terminais (fios) que vão à bateria elétrica ou fonte de alimentação (não importa a polaridade); C é a base de madeira; D é o sarrafo que mantém a lata fixa sobre a base de madeira (antes de colocar esse sarrafo, coloque alguns pregos para prender a lata na base); E é um parafuso para madeira atarraxado firmemente no sarrafo D (esse parafuso deve ser ajustado para tocar o fundo da lata); F é um sarrafo que servirá de suporte para o parafuso de máquina (as medidas desse sarrafo irão depender do tamanho da lata); H é o parafuso para máquinas, atarraxado no suporte F (a ponta livre desse parafuso deve defrontar o lado externo do fundo da lado, cerca de 2 mm); G é a bobina de fio de cobre esmaltado enrolada sobre a ponta livre do parafuso H. I é um interruptor para o circuito elétrico. Observe que as dimensões da base, do suporte do parafuso e do sarrafo que vai no interior da lata, irão depender da particular lata utilizada. Recomendo o uso da lata do leite em pó, pois basta retirar a tampa e não é preciso cortar nada.
Um fator importante é o da boa fixação da lata na base de madeira.

A seguir, uma vista de topo dessa montagem com a bobina fora da lata:

A bobina consiste de cerca de 6m de fio de cobre esmaltado, número 24 a 28, enrolado na extremidade livre do parafuso. Arruelas de papelão colocadas no parafuso servem de guias e proteção da bobina. A bobina e seu núcleo, o parafuso, formam um eletroímã. Uma das extremidades do fio da bobina é ligada na própria lata (mediante solda ou parafuso e porca), numa região próxima à borda. A pintura da lata deve ser raspada nessa região. A outra extremidade vai a um dos terminais do interruptor tipo botão de campainha. Do outro terminal desse interruptor e do parafuso para madeira que toca o fundo da lata (lixe o fundo da lata nessa região central) saem os dois fios (B) que vão à bateria de 6 ou 9 V ou fonte de alimentação AC/DC ajustável. Na ilustração foi indicado o fio que vem do parafuso interno vai ligado no positivo da bateria, mas poderia ir ao pólo negativo da bateria; a polaridade não interfere no funcionamento.

Abaixo ilustramos duas variantes para a montagem da base, lata e suportes dos parafusos; à esquerda usando sarrafos (madeira) e à direita usando lâminas de ferro ou latão. O toco de madeira usado para a base não precisa ser tão 'exagerado' como o da ilustração; um pedaço de tábua servirá. No caso de se usar lâminas metálicas, deve-se fazer roscas (passar a ferramenta adequada) nos furos por onde vão passar os parafusos de contato e da bobina.

Funcionamento
Quando o botão do interruptor é apertado, fecha-se o circuito série: bateria, parafuso no interior da lata, fundo da lata, lata, bobina, interruptor, bateria. Com a passagem da corrente elétrica pelo eletroímã, o campo magnético produzido atrai o fundo da lata, desencostando-o do parafuso interno e, com isso, abrindo o circuito. Com o colapso do campo magnético o fundo da lata é liberado e, por elasticidade, retorna à sua posição normal, tocando o parafuso interno ... e fechando o circuito. O ciclo se repete enquanto o interruptor estiver apertado. Todo esse processo é muito rápido e este vai e vem do fundo da lata gera ondas sonoras tanto dentro como fora da lata, as quais se propagam pelo ar ... é o som da buzina!

Problemas
Se a buzina 'emperrar', tente ajustar os dois parafusos; o de dentro da lata para tocar no fundo da lata e o que contém a bobina para chegar mais perto do fundo da lata. Se não funcionar, verifique com cuidado todas as conexões elétricas, especialmente o contato entre o fio que vem da bateria e o parafuso interno. Não esqueça de raspar as extremidades dos fios de cobre para retirar o esmalte isolante e, com isto, estabelecer bons contatos elétricos. 
Experimente vários valores de tensões elétricas e outros números de espiras da bobina para o melhor rendimento do projeto. Relate-nos seus apuros e sucessos. Envie-me uma cópia do folheto de seu trabalho. Isso será muito útil aos demais. Clique aqui para fazer isso!

Variante da buzina - modelo com bobina interna
Para esse modelo didático de buzina, o eletroímã (parafuso + enrolamento de fio de cobre esmaltado), que no modelo anterior está fora da lata, pode passar para o lado de dentro da lata. Fiz isso e apresento para vocês as fotos da montagem:

O circuito elétrico não sofre modificação alguma: (a) um terminal da bobina vai ligado na lata; (b) o outro terminal da bobina vai para a fonte de alimentação --- pólo positivo, por exemplo; (c) o outro pólo da fonte de alimentação --- negativo, no exemplo --- vai para o parafuso que toca no fundo da lata pelo lado de fora.

Bom sucesso!
 


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2010 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1