menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Atividades em Comunicações
(Série C - ATIVIDADE 19 - Como fazer um modelo de telefone?)

Prof. Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br

Em nosso estudo de como nos comunicamos por meio da 'eletricidade', já consideramos o telégrafo, as cigarras e as campainhas. Todas estas foram invenções maravilhosas, em sua época, mas o grande dia de triunfo chegou quando se tornou possível levar a própria voz a uma grande distância, por meio dos fenômenos elétricos. Você compreenderá como foi difícil resolver este problema e como foi, afinal, resolvido, se você ler a história de Alexandre Graham Bell, inventor do telefone.

O telefone, como muitas outras das grandes invenções, sem os quais não podemos passar, já foi considerado uma coisa impossível e aqueles que passaram seu tempo fazendo experimentações com o mesmo, eram considerados como visionários loucos. No entanto, o sucesso veio finalmente e, em pouco mais de 50 anos, depois de as palavras de Bell serem ouvidas através de seu primeiro instrumento rudimentar, tornou-se possível transmitir a voz através dos fios, a grande velocidade para todas as partes da terra. Mais tarde veremos, também, que até os fios eles conseguiram dispensar.

Problemas que, antes de serem resolvidos, parecem difíceis e mesmo impossíveis, usualmente mostram ser extremamente simples depois que são compreendidos. Isto é especialmente verdadeiro, em se tratando do telefone. Você ficará surpreso ao saber que você pode reunir duas lâminas de barbear, um pedaço de lápis e uma caixa de charutos de modo a obter um telefone que transmitirá muito bem a sua voz (figura 1).

Faça com a ponta de um canivete, dois sulcos paralelos sobre a superfície de uma caixa de charutos, com a distância de 4cm entre si. Enfie em cada sulco um lado de uma lâmina de barbear (figura 2). As lâminas deverão ficar firmemente presas ao lugar. Se os sulcos não as mantiverem firmes, prenda-as com um pouco de cola tipo 'Superbonder'. Prenda um fio em cada lâmina para poder fazer a ligação posteriormente.

Agora faça ponta nas duas extremidades de um lápis (figura 2) e coloque-o sobre a parte afiada das duas lâminas. Faça uma ponta bem grande no lápis para que a grafita, e não a madeira, entre em contato com as lâminas. Seu transmissor telefônico está pronto.

Arranje um receptor telefônico (retire o do telefone de sua casa para uma experimentação rápida); esse que aparece na ilustração é dos bem antigos. Se você conhece alguém, que tenha algum amigo ou conhecido na companhia telefônica local, talvez esta pessoa possa conseguir-lhe um que já esteja fora de uso. Ligue as pilhas, como vem ilustrado no diagrama.

Para testar suas ligações, ponha no ouvido o receptor e levante e abaixe o lápis. Movimente-o de um lado para outro e você ouvirá um barulho no receptor, algo semelhante à estática no rádio.

Para ajustar seu telefone de modo a perceber as vozes, ponha um relógio mecânico (esses de 'dar corda') sobre a caixa e, enquanto escuta pelo receptor, ajuste a posição do lápis até poder ouvir o barulho do relógio duas ou três vezes mais forte. Quando for encontrada uma posição sensível, retire o relógio, fale diretamente para a caixa, distintamente, e seu amigo, com o receptor ao ouvido, deverá escutar o que você disser. Naturalmente ele deve tapar o outro ouvido, a não ser que a linha seja suficientemente comprida. Ah! Ninguém ai tem um relógio mecânico? Então, basta raspar a tampa da caixa com a unha!
Na Atividade 21 você encontrará instruções para montar dois telefones ao longo de uma linha comprida e que permitirá que você e seus colegas falem nos dois sentidos.

Você realizou o feito espetacular ao conseguir que uma caixa de charutos reproduza sua voz e a envie através de um fio. Tentemos descobrir como isto funciona.
Você percebe que as ondas sonoras da voz fazem a caixa vibrar. Encoste os dedos na caixa, enquanto produz alguns sons, e sinta as vibrações. A vibração da caixa faz com que o lápis se abale e vibre ao mesmo tempo. Isto, por sua vez, interrompe a continuidade da corrente e faz com que ela pulse, a medida que passa pelo eletroímã do receptor. Deste modo o diafragma do receptor se desloca ou vibra e produz o mesmo tipo de ondas sonoras que atingem a caixa na outra ponta da linha. Pense bem nisto. Arranhe a caixa e escute. Deixe cair grãos de areia sobre a caixa e escute pelo receptor, para ouvi-las cair. Balance a mesa e escute. Tudo isto parece estar de acordo com a explicação acima? Se o princípio do telefone ainda não estiver claro a  Atividade a seguir servirá para esclarecê-lo melhor.

... Atividades da Série C - Comunicações ...
    #14 Qual é a base dos instrumentos telegráficos simples?
    #15 Como montar uma ligação telegráfica bi-lateral?
    #16 Como é construída uma cigarra simples?
    #17 Como é feito e como funciona uma campainha elétrica?
    #18 Uma campainha didática, mas que funciona de verdade.
    #19 Como fazer um modelo de telefone?
    #20 Como usar dois carvões e lápis para fazer um telefone?
    #21 
Dois tipos interessantes de ‘telefones', com caixas de charuto.
    #22 Como funciona o telefone de verdade?
    #23 
Como construir uma linha telefônicas e usá-la nos dois sentidos?

 


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1