menu_topo

Fale com o professor Lista geral do site Página inicial Envie a um amigo Autor

Bobinas de Tesla Eletrônicas
(Estado sólido)

Prof. Luiz Ferraz Netto
leobarretos@uol.com.br

Objetivo
Montagem de bobinas de Tesla utilizando-se de componentes eletrônicos. São apresentadas duas versões. Recomenda-se a ajuda de um técnico em eletrônica para orientar detalhes do projeto.

Nota: Na 'arte' do misticismo esse equipamento acoplado a uma simples máquina fotográfica recebe o nome de "Máquina Kirlian" e o preço dela, veiculado na www., é cerca de US$5.000,00 (isso mesmo, cinco mil dólares!). Feita por você, em uma ou duas horas de serviço, sairá por R$ 200,00 (incluindo a máquina fotográfica). Se quiser verificar a validade do preço acima, basta entrar no Google e na linha de busca digitar "Máquina Kirlian" (Kirlian Machine). Dai para a frente, acredite se quiser!

Montagem - 1

Cuidado! Esse equipamento induz altas tensões perigosas se não for usado adequadamente e com cautela. Exige a presença de um adulto.

Atue sobre R1 para ajustar a máxima corrente que circula pelo transistor-Darlington. Para usar tal gerador de alta tensão para acionar um 'globo de plasma' (ou mesmo uma lâmpada incandescente, em substituição ao globo) essa corrente deve ter intensidade ao redor dos 2 A.

Escolha um flyback com núcleo de bom diâmetro. Um outro diodo rápido pode ser usado em substituição ao BYV95C. O BDX87B deve ser instalado sobre um bom dissipador de calor.
Para experimentos, sem o globo de plasma, colocar um disco metálico espesso (3 a 5 mm) com bordo arredondado, direto ao terminal de alta tensão do flyback.

Para acionar motores eletrostáticos deve-se adicionar um retificador de alta tensão (para TV) e um capacitor de dielétrico de vidro ligado ao terminal de alta tensão do flyback (veja Sala de correntes alternadas).

Como destacamos na NOTA inicial, certos 'seguidores' das pseudo-ciências rotulam tal equipamento como 'máquina de Kirlian' e, como tal, dotadas de 'poderes' místicos como produtor de 'auras' e coisas que tais. Tais deslumbramentos fogem ao escopo científico.

Montagem - 2

Enrolamentos sobre a perna livre do flyback: Primário - 10 espiras de fio de cobre esmaltado 18 (ou com isolação de seda), dotado de 'center-tap' (5 + 5 espiras); Realimentação - 4 espiras de fio de cobre esmaltado 22, com 'center-tap' (2 + 2 espiras); Secundário - o enrolamento original do flyback.
Nota: o enrolamento de realimentação é feito sobre o enrolamento do primário.

Esse equipamento (montagem -2-) é o usado pelo autor em seus experimentos que requerem altas tensões em altas freqüências.
Para acionar motores eletrostáticos e outros experimentos de eletrostática use o diodo retificador de alta tensão e o capacitor de vidro no terminal de alta tensão.

Montagem - 3

Essa montagem acima (Montagem -2) serviu de referência para o projeto a seguir, um tanto mais 'potente' e mais detalhado para experimentos em Feiras de Ciências e Trabalhos Escolares.

Objetivo
Aprimorar a técnica sobre montagens eletrônicas. Desenvolver um projeto que permita produzir alta tensão sob alta freqüência. Executar experimentos demonstrativos sobre 'fogo de São Elmo', ionização de gases, produção de campos eletromagnéticos etc.

Idéia geral
Trata-se, eletronicamente, de um oscilador capaz de produzir cerca de 30 000 volts (ou mais), dependendo do transformador de saída horizontal de TV usado (flyback), a partir de uma tensão de 24 VAC.

Componentes

Notação Quantidade Especificação
R1 1 27W - 5/10 W
R2 1 240W - 5/10 W
ponte 1 50V - 6A
C1 1 8000mF - 35V
TR1,TR2 2 2N3055 - NPN
T1 1 110/24V - 5A
T2 1 Flyback - TV
F1 1 fusível - 1A
CH1 1 interruptor
outros plugue, dissipadores etc.

Circuito esquemático

Comentários
a- T2 é um transformador de saída horizontal para TV, mais conhecido como 'flyback'. Velhos TVs preto/branco são excelentes fontes de tal componente. Qualquer oficina de conserto de rádio/TV/K7/DVD lhe fornecerá um desses (de graça!). As únicas partes que interessam desse componente são, o núcleo de ferrite (e sua armação de fixação) e a bobina de alta tensão. As demais bobinas, AB e CD, deverão ser enroladas pelo montador.

b- Como comentamos acima, os 'primários' desse T2 devem ser re-enrolados pelo montador. Assim, se houver alguns primários originais no componentes (provavelmente 'queimados'), eles podem ser retirados ou simplesmente 'esquecidos' (sem uso); cuidado para não danificar o enrolamento de alta tensão (secundário). Os enrolamentos "extras" (em geral enrolado na 'perna' livre do núcleo de ferrita) são feitos assim: enrole 5 espiras de fio 18 rígido encapado com plástico, tire o CT (ligação central) e a seguir enrole mais 5 espiras (esse é o enrolamento CD); enrole 2 espiras de fio flexível 22 encapado (cabinho 22), puxe o CT(ligação central) e enrole mais 2 espiras (esse é o enrolamento AB).

c- TR1 e TR2 necessitam de bons e amplos dissipadores de calor (isso é importante para longas demonstrações que requeiram mais de 5 minutos de funcionamento). R1 e R2, ambos indicados para 5W, devem estar bem 'arejados' pois podem esquentar um pouco. Na dúvida, troque-os por outros de mesmos valores ôhmicos e potência de dissipação de 10W.

d- Esse gerador de alta tensão tem saída (AT) não retificada, assim o arco elétrico que se produz entre o terminal de alta tensão e um fio terra (não mantenha esse arco direto por muito tempo) é 'muito quente' e pode causar queimaduras locais se dirigidos diretamente para a pele. Você pode obter um arco bem mais intenso e 'brilhante' se acrescentar à saída de alta tensão um multiplicador/retificador retirado de um velho televisor ou monitor de computador. Um técnico de TV poderá lhe 'arrumar' e mostrar as conexões desse multiplicador no flyback.

e- Na sua primeira 'experiência' após a montagem, se o circuito não oscilar e produzir a alta tensão, inverta as ligações A e B (isso colocará a realimentação na 'fase correta').

f- Agora você fazer seus experimentos em alta tensão e alta freqüência. Um experimento interessante é o seguinte: coloque um balde plástico de 'ponta-cabeça' no chão, coloque sobre o balde uma grande forma de alumínio de assar pizza, conecte a forma de pizza ao terminal de alta tensão do gerador (desligado é claro!), suba sobre a forma de pizza (afastado de todo e qualquer móvel da sala) levando consigo uma lâmpada fluorescente; peça a um colega seu que ligue a fonte. Pronto! Você vai ser 'carregado' e a lâmpada em sua mão vai acender! Não toque em nada! Não cumprimente ninguém dando a mão diretamente! :-)
Não, não se preocupe tanto, esses experimentos não são mortais, as intensidades de corrente são muito baixas e além disso a alta freqüência garante o efeito de pele (leia sobre isso!).

Bom sucesso!


 


Copyright © Luiz Ferraz Netto - 2000-2011 ® - Web Máster: Todos os Direitos Reservados

Nova pagina 1